A Senhora do Monte

A Senhora do Monte

Uma homenagem ao Portugal das tradições, dos saberes e dos sabores.

A Senhora do Monte nasceu em 1922, nas altas terras da Serra da Estrela. Cresceu a ajudar os seus pais e irmãos na lavoura e nas lides domésticas, aprendendo e dando continuidade ao saber tradicional português. A família vivia num terreno de aproximadamente 6 hectares, de onde a generalidade das suas necessidades eram asseguradas. Da água que apanhavam das nascentes, às hortas, pomares e florestas que mantinham, passando pelos diversos animais que cuidavam, a sua quinta era uma fonte de abundância e fartura, que alimentava toda a sua família, amigos, e ainda permitia algum sustento no mercado.

Na sua quinta, já o seu avô tinha trabalhado para construir diversos lameiros com levadas de água fresca distribuída por poços frescos, um trabalho de pedra cheio de perícia e esforço que agora era preservado com enorme devoção. “Até então eram terras bravias”, como dizia o seu Pai, “terras que o teu Avô conquistou à custa do corpo”. Nestes terrenos a abundância, as cores e a natureza eram resplandecentes, um verdadeiro ecossistema mantido com trabalho e grande planeamento.

Todos tinham tarefas no dia-a-dia da quinta, entre cuidar dos animais – galinhas, patos, perus, coelhos, porcos, cabras e burros – cuidar das hortas, dos pomares e das matas; ou ajudar em casa nas lides domésticas de sua Mãe, ou nos pequenos arranjos e melhoramentos sempre permanentes que o seu Pai desenhava. O seu Pai era carpinteiro, um dos melhores da região. Tinha aprendido com o seu Avô que havia sido um grande carpinteiro e um grande criador de gado.

A sua Mãe era originária de famílias Alentejanas mas já se acostumara à vida serrana. Trazia algumas formas diferentes de lidar a terra mas as suas hortas eram das mais viçosas da aldeia. Não distinguia hortas de jardins, pelo que tudo tinha de ser bonito, tudo tinha de ser produtivo. Tinha aprendido com a mudança de que haviam diferentes formas de trabalhar a terra e tinha encontrado uma forma de cruzar ambos os saberes em algo ainda mais eficiente.

Dos seus Pais, A Senhora do Monte herdou uma cultura de respeito à terra e natureza, um respeito sustentado no profundo conhecimento que detinham de como utilizar uma enorme variedade de colheitas para as mais diversas funções: alimentação, decoração, roupa, medicina, contrução, etc. Do seu respeito nascia uma relação sustentável com a terra, preservando e potenciando os recursos naturais para as gerações vindouras.

A Senhora do Monte é uma biblioteca de saber antigo, caseiro e artesanal, um saber cada vez mais perdido mas cada vez mais importante e relevante. Uma homenagem a toda uma geração perdida em Portugal, uma geração que, muitas vezes, não valoriza a sua própria sabedoria mas que simplesmente vai mantendo a tradição viva.

A Senhora do Monte
Uma homenagem ao Portugal das tradições, dos saberes e dos sabores.