Ginjinha Caseira

GINJINHA CASEIRA:

A Ginja cujo nome científico é Prunus cerasus, é muito semelhante à cereja. Desta faz-se um licor obtido da maceração das ginjas, sendo muito popular na região de Óbidos, Alcobaça e Algarve.

É costume ser servida com fruta curtida, no fundo do copo, sendo popularmente dito: “com elas”. Quando é servida pura diz-se: “sem elas”.

Ginja de Alcobaça

Em Alcobaça produz-se licor de ginja M.S.R. desde 1930 através de um processo artesanal. São usadas ginjas frescas, colhidas na região que antigamente estava ligada à Ordem de Cister. A receita do actual licor é inspirada em receitas antigas dos monges de Cister, sendo usados somente produtos naturais sem quaisquer conservantes artificiais.

Com um sabor bastante intenso, este licor possui a cor rubi e pode ser consumido a qualquer momento bem como ser servido ao fim das refeições como digestivo.

Ginja de òbidos

A ginjinha de òbidos tem um forte sabor e a cor vermelho escuro. Este licor apresenta duas variedades: o licor simples e o licor com frutos no seu interior, que, por vezes é aromatizado com baunilha ou com um pau de canela.  

Diz-se que a origem deste licor remonta o séc.XVII através de uma receita conventual – certo frade tirou partido das grandes quantidades de fruto esxistente na região, acabando por executar o licor que é hoje conhecido sem recorrer a corantes ou a conservantes artificiais.

A receita foi gradualmente difundida, passando o licor a ser confeccionado a nível familiar pelos habitantes de Óbidos, que orgulhosamente o usavam para presentear ilustres hóspedes.

A Ginjinha de Óbidos é mais ou menos alcoólica, doce ou ácida, é um dos ex-líbris desta vila.

Receita

  • 1kg de ginjas
  • 1L de aguardente
  • 750g de açúcar

Modo de Preparação:

Lave as ginjas retirando-lhes os pés, e depois de escorridas, deite-as num frasco ou garrafa de boca larga.

À parte misture a aguardente e o açúcar e verta o preparado sobre as ginjas.

Tape bem e conserve num local escuro durante 3 a 6 meses.

Na primeira semana vá gitando de vez em quando a garrafa em que está a preparar o licor.

14 pensamentos sobre “Ginjinha Caseira

  1. Eu também uso as mesmas quantidades dos mesmos ingredientes, mas junto 750 dl de vinho tinto de 13,5º e 4 barrinhas de canela. Contudo, só está deliciosa – para mim, claro – ao fim de um ano. Junto o vinho porque acho que a graduação final sem ele é muito elevada. E a graduação da ginja tem de ficar entre os 18/20º. Com “elas…”, então é uma delícia.

  2. Vivo em Victoria,Canada e vou usar a vossa receita assim que as ginjas no meu quintal estejam maduras ,com a dica do Felisberto .Como a aguardiente de uva e muito cara nestas paragens, uso vodka com bom resultado….mas talvez menos delicioso que so vossos !

  3. Muito boa noite, estou curioso.
    No ano passado fiz um licor delicioso com cerejas , água ardente e açúcar.
    Adoro cozinhar, mas de licores e bebidas percebo muito pouco.
    Vi à venda ginjas em calda. Alguém me saberá dizer se é possível fazer um licor com estas ?

  4. Eu fiz e enfiei as ginjas numa garrafa que já tinha servido de ginja mas parece que incharam e agora não saem. Estão em repouso a ver se dá alguma coisa, pode ser que desinchem.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s